Categories Mixology

Mixology #02 serpentwithfeet

Posted on
Mixology #02 serpentwithfeet

A mistura de hoje é, como muitas das melhores bebidas, difícil de ser digerida no início, com um sabor forte e diferente de tudo já experimentado antes. Uma vez que tomamos gosto, no entanto, é inevitável apreciá-la, em cada nuance e nota.


 

HANS ZIMMER

Apesar de o gênero clássico não ser um dos mais populares atualmente, é inegável o impacto que a música do compositor alemão tem em algumas das principais obras cinematográficas dos últimos anos. Com sua mistura (muitas vezes agressiva) de elementos orgânicos e artificiais, como órgãos e sintetizadores, Hans Zimmer consegue transmitir emoções e conduzir a audiência em viagens pelo tempo e espaço.

Sua parceria mais marcante é com o diretor inglês Christopher Nolan, com quem desenvolveu as trilhas para os filmes A Origem, Interestelar e Dunkirk, entre outros.

 

 

FRANK OCEAN

O cantor e compositor, radicado na Califórnia, é daquelas figuras que aparecem a cada vinte anos na música. A cada álbum, Ocean traz elementos novos e se reinventa, tornando difícil classificá-lo em um gênero exato. Alguns o definem como R&B contemporâneo, outros rap, e alguns até mesmo neo-soul.

Ele iniciou sua carreira na música compondo para grandes nomes como John Legend e Pharrel, mas logo sentiu a necessidade de dar a própria voz às suas canções.

Desde o lançamento de sua primeira mixtape, Nostalgia, Ultra (2011) ele chamou atenção da crítica especializada e público. O sucesso se deu não apenas por suas batidas e estilo vocal marcante, mas também pelo conteúdo de suas letras, muitas vezes tratando de temas como sua homossexualidade, tema tabu na música negra.

 

 

MÚSICA GOSPEL AMERICANA

Esse ingrediente da nossa mistura não é exatamente um artista ou banda específico, mas sim um gênero. Gênero esse que tem todo um peso na cultura americana, tanto pela ligação com a Igreja e a religiosidade, quanto pela “escola” que se tornou para muitos artistas consagrados, como Aretha Franklin e Beyoncé, fornecendo elementos vocais e instrumentais que mais tarde foram incorporados ao trabalho deles.

 

 

SERPENTWITHFEET

O nome escolhido por Josiah Wise para seu projeto já é um indicativo dos temas e estilos musicais pelo qual sua obra percorre: uma serpente com os pés é a mais famosa representação do que acredita-se, pela Bíblia, ser o pecado original.

A temática e a instrumentalidade religiosa dão o tom a um estilo novo, que o próprio cantor descreve como ‘gospel pagão’.

Josiah foi treinado de forma clássica, na própria Igreja, mas percorre nomadicamente estilos como funk, R&B e neo-soul, misturando harpas e poderosas batidas eletrônicas.

O trabalho dele, principalmente na parte vocal, soa como um grande experimento, passando por todos os tipos de inflexões e notas, sempre com um timbre impecável.

A mistura, sabemos, soa estranha, mas o sabor é diferente de tudo que você já provou e vale a pena.